bonsai e a natureza
IBERBONSAI.pt ::
Contactos
Qtd:
0
Total:
€ 0,00
Carrinho de Compras
0
Carrinho de Compras

 

 

 

Home

PESQUISA AVANÇADA

ÁREA DE CLIENTE

963 907 899

SAIBA MAIS

NOVIDADES

Conheça as nossas novidades

NEWSLETTER
bonsai e a natureza

Salamandra num vaso de bonsai iberbonsai

Bonsai e a natureza

Na iberbonsai, a natureza vem em primeiro lugar. Tratamos o nosso bonsai sempre com a preservação do ambiente natural em mente. É importante para nós proteger o ambiente e isto também nos ajuda a manter o nosso bonsai de boa saúde, porque a natureza tem todas as armas necessárias para lutar contra aquilo a que chamamos os inimigos das culturas, para isso é suficiente respeitar o equilíbrio natural.

 

O nosso bonsai e a natureza

 

Em Maceda, entre Porto e Aveiro, beneficiamos de um microclima exceptional, estando perto do mar, o que nos permite escapar ao frio intenso no inverno, assim como ao calor elevado no Verão. Além disso, as nossas instalações situam-se numa zona arborizada e mais baixa, o que proporciona um nível de humidade relativa extremamente favorável para o cultivo do bonsai.

Ver onde estamos.

 

É por isso que encontramos muitas espécies de animais que vivem em simbiose nas nossas árvores de bonsai, e claro que os protegemos. Nunca destruímos as teias de aranhas, porque estas alimentam-se de insectos, ajudando-nos nesta tarefa, diminuindo assim as pulverizações com insecticidas.

 

Encontramos regularmente salamandras dentro dos vasos de bonsai, elas gostam de humidade e como quase não aplicamos químicos, elas encontram o que necessitam e o que precisam para sobreviverem. Claro que os protegemos e não os destruímos e quando encontramos uma, normalmente dormindo num vaso, em princípio debaixo da raiz do bonsai, apressamo-nos a colocar tudo como estava para não a perturbar. A salamandra não destrói nada, nem as raízes, nem os ramos ou as folhas do bonsai.

 

De facto, é muito raro aplicar qualquer produto fito farmacêutico, excepto em caso de infestação grave, como pode ser o caso da cochonilha ou insecto farinhento, para evitar a propagação em todos os bonsais. Neste caso, escolhemos sempre o produto menos tóxico possível para o ambiente.

 

Respeitamos e implementamos condições óptimas de cultivo, a fim de evitar a utilização de produtos químicos e, desta forma, proteger o ambiente natural. A nossa rega é muito controlada e sempre realizada antes do meio-dia, evitando em particular o ponto de murcha para não causar danos desnecessários ao bonsai e nunca regamos em excesso para não correr o risco de apodrecimento das raízes.

Ler artigo sobre a rega do bonsai.

 

Dica: na primavera, especialmente nas macieiras e aceres, que são normalmente atacadas por piolhos, mas também noutras espécies, cortamos os rebentos novos susceptíveis de serem invadidos por piolhos, quase todas as semanas e assim evitamos, uma vez mais, pulverizar um insecticida e ao mesmo tempo praticamos a poda. Os rebentos jovens são geralmente considerados como ladrões para tirar força ao fruto e devem, portanto, ser removidos.

Os piolhos atacam sempre os rebentos mais macios, quase nunca os ramos de madeira madura.

 

Reduzimos a intensidade solar e a temperatura no Verão fechando as redes de sombra e os ecrãs térmicos antes do meio-dia e reabrindo-os no final da tarde. Por um lado protegemos os nossos bonsais das quiemaduras solares e, por outro lado, poupamos a água, esse bem precioso e indispensável à vida na terra.

Ler artigo original sobre o sombreamento do bonsai.

 

Recolhemos a água da chuva das caleiras das nossas estufas para poupar água e evitar o risco de ficar sem ela no Verão, tendo assim um grande reservatório de água.

 

Não esqueçamos que o estado da água, em forma líquida, é o principal bem da vida no nosso planeta, de facto os seres vivos caracterizam-se pela sua riqueza em água líquida, por exemplo a massa corporal do corpo humano contém cerca de 60% de água.

 

O ar também contém vapor de água, mas a concentração é altamente variável e varia de 10 a 95%, dependendo das condições meteorológicas.

 

Por exemplo, em tempo de chuva quando a taxa de humidade é muito elevada, não precisamos de regar, mesmo nas estufas, pois isso teria um efeito desastroso e poderia levar ao apodrecimento da folhagem e consequentemente ao desenvolvimento de doenças e fungos.

Ler artigo sobre a água e o bonsai.

 

Outro aspecto muito importante igualmente, recuperamos os restos de poda para compostagem, assim nada é desperdiçado, é um ciclo natural, os ramos e as folhas decompostas vão fazer um novo substrato que pode ser utilizado nos primeiros anos de cultivo das mudas, mas sempre em mistura com outro substrato, nunca utilizar o composto puro, mas sim a proporção de 30% no máximo.

 

A compostagem requer guardar a matéria orgânica num local próprio e humidificado, coberto para não receber a água da chuva que provocaria a lavagem dos elementos nutritivos e sobretudo nunca acumular resíduos similares, convém misturar matéria orgânica verde e dita cinzenta ou seja de ramos já mais maduros. Sempre proceder por camadas sucessivas de cada sem nunca exagerar na quantidade de cada uma. Mexer a mistura pelo menos uma vez por semana, se existirem pedaços de madeira grosseiros, melhor ainda porque favorece o arejamento do composto.

 

Regra básica: manter uma taxa de humidade constante.

 

Por norma o composta fica pronto entre três a seis meses na primavera e seis a nove meses no inverno.

 

Dica: se o composto começar a cheirar mal, deverá remexê-lo. o mau cheiro é devido a falta de arejamento.

 

A compostagem é o processo de transformação de restos vegetais em composto. É normal o composto aquecer durante o processo, é sinal que está a decorrer de forma adequada. 

 

O nosso trabalho depende muito do tempo e temos de tomar decisões com base na temperatura, para proteger o bonsai do frio à noite em caso de geada no inverno ou proteger do sol e do calor intenso com equipamento de sombreamento no verão.

 

Também dependemos da humidade do ar, se devemos regar ou esperar pelo dia seguinte, sempre com o espírito de maximizar os recursos e proteger o meio ambiente.

 

Como vimos em outros artigos, a selecção do substrato é também de extrema importância, a melhor qualidade é necessária para evitar futuros contratempos. O substrato permite que o bonsai extraia a sua comida e a água e por conseguinte, deve ser arejado o suficiente e não compactar rapidamente.

Ler artigo original sobre o substrato para bonsai.

 

A nossa responsabilidade reside em fazer a escolha certa das condições de cultivo, comprometendo-nos assim a ajudar a proteger a natureza.

 

Cada um de nós pode fazer o mesmo em casa, estes são pequenos gestos, mas são importantes para salvaguardar o nosso ambiente e tentar combater o fenómeno do aquecimento global.

 

O ambiente natural deve ser respeitado, não importe onde e por quem, cabe-nos a nós todos protegê-lo e fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para não piorar o clima, mas sim tentar melhorar através de pequenos gestos diários que são fáceis de alcançar, basta querermos e sobretudo acreditar que vale a pena.

 

O bonsai e a natureza na iberbonsai

 

A prática do bonsai é uma arte maravilhosa que faz bem ao espírito e nos ajuda a viver.

 

Ao respeitar os nossos conselhos básicos e de fácil aplicação ao alcance de todos, será mais interessante e especialmente muito mais excitante lidar com esta pequena árvore a que chamamos bonsai, respeitando acima de tudo a Natureza.

 

 

 

 

Termos e Condições
A iberbonsai
Dicas e Conselhos
Catálogo
Siga-nos

Todos os valores incluem IVA à taxa em vigor

Copyright © IBERBONSAI.pt 2022

Desenvolvido por Optimeios

UA-144250790-1 UA-144250790-1