princípios básicos do cultivo do bonsai
IBERBONSAI.pt ::
Contactos
Qtd:
0
Total:
€ 0,00
Carrinho de Compras
0
Carrinho de Compras

 

 

 

Home

PESQUISA AVANÇADA
princípio básicos do cultivo do bonsai

Princípios básicos do cultivo do bonsai.

A arte do bonsai é muito subtil, por isso é apropriado explicar tudo sobre o cultivo, a estilização, a manutenção e os cuidados que temos de ter com esta pequena árvore.

 

Vamos aqui revelar alguns segredos profissionais que permitem a todos criar uma pequena árvore e fazê-la evoluir para um bonsai.

Quais os princípios básicos do cultivo do bonsai?

Rega, substrato, aramação, poda e moldagem são todos tópicos interessantes que discutiremos a seguir.

 

O bonsai é acima de tudo uma árvore normal, mas como o criamos num vaso relativamente pequeno para permanecer em miniatura, não se pode desenvolver da mesma forma como se fosse plantado no solo.

 

O processo hortícola visa, através de técnicas específicas, cuidar e moldar a árvore de modo a que esta permaneça pequena, mantendo em mente a forma original de uma árvore na natureza.

 

Lembre-se que não há sementes de bonsai e é possível fazer um bonsai a partir de qualquer tipo de árvore, desde que se trata de uma espécie lenhosa. É perfeitamente possível fazer um bonsai a partir de uma semente de árvore, por exemplo pyracantha coccinea, malus baccata e malus sylvestris, pinheiros como o pinus parviflora, o pinus thunbergii, o pinus mugho, o pinus pumila, a faia ou fagus sylvatica, o larix etc... Estas são algumas das espécies que conseguimos, semeando-as todos os anos no nosso viveiro.

Ler artigo sobre a sementeira do bonsai.

 

O bonsai também pode ser criado a partir de estacas, tais como o juniperus communis repanda, o juniperus chinensis, o juniperus san josé, o juniperus sabina tamariscifolia, a serissa phoetida, o ilex aquifolium, a oliveira, o cotoneaster, o ulmus e muitos outros.

A estaca é geralmente feita no final do verão com madeira madura, pois é a solução mais fácil e com os melhores resultados.

Ler artigo sobre a estaquia do bonsai.

 

Há também a alporquia aérea, que não é a forma mais comum de propagação do bonsai, mas muitos amadores utilizam-no para poupar tempo, uma vez que é possível conseguir ramos de grande diâmetro, dando assim origem a uma árvore que parece velha, mas o nebari nunca é perfeito

Ler artigo sobre a alporquia do bonsai.

 

A maneira mais fácil de começar no mundo do bonsai e de criar um projecto pessoal é adquirir um pré-bonsai. A vantagem desta planta, que provém principalmente do nosso cultivo, é que tem as principais características de ser facilmente transformada num bonsai a partir de aramação e podas específicas.

 

Os princípios básicos do cultivo do bonsai:

 

- A espécie:

 

Claro que existe uma certa categoria de árvores que são preferidas no mundo do bonsai, tais como pinheiros, pinus pentaphylla ou pinheiro de cinco agulhas, pinus thunbergii ou pinheiro negro japonês, pinus mugho ou pinheiro da montanha, carpinus coreano, oliveira ou olea europaea e olea sylvestris etc...

Para determinar que espécie escolher, devemos primeiro perguntar-nos se estamos à procura de um bonsai de interior ou de exterior. De facto, a futura localização do bonsai é um factor determinante na escolha da árvore. Imaginemos por exemplo, que escolhemos uma macieira por causa das suas flores para colocar na nossa secretária no escritório.... Isto seria um grande erro, a macieira é um bonsai de exterior e por isso não pode viver num espaço fechado sem luz solar. Neste caso, seria melhor optar por um ficus retusa ou uma carmona macrophylla, que são espécies de bonsai adequadas para uso interior.

 

A escolha das espécies é vital e depende do grau de conhecimento de cada pessoa, com poucos conhecimentos seria insensato escolher um pinheiro, pois esta espécie requer uma atenção especial, especialmente no que diz respeito à poda, não é a árvore certa para os principiantes.

 

Uma vez definidas as espécies que queremos seleccionar, temos de começar a pensar no que vamos fazer, ou seja, qual o estilo a escolher.

 

- O estilo:

 

E porquê? Porque existem diferentes estilos de bonsai e è a partir do primeiro momento que devemos definir o estilo que queremos, porque se escolhermos por exemplo um estilo vassoura ou Hokidashi, não será possível mudar mais tarde, por exemplo para um estilo Moyogi ou erecto informal, ou kengai estilo cascata.

 

Ler artigo sobre os diferentes estilos de bonsai.

 

Agora que escolhemos o estilo, é necessário pensar no substrato, outro elemento básico para obter um bonsai com sucesso.

 

- O substrato e o transplante:

 

Como vimos em artigos anteriores, a qualidade do substrato é a base do sucesso no mundo do bonsai. Um bom substrato deve ser o mais drenante possível, retendo o máximo de água e rejeitando o excedente, mantendo também os nutrientes essenciais ao crescimento do bonsai.

 

Felizmente existem vários substratos do Japão e de itália, tais como akadama, kiryuzuna e kanuma para o primeiro e pomice para o segundo.

 

Estes substratos naturais são especialmente concebidos e estudados para o cultivo do bonsai. O problema actual é o preço de acquisição devido ao transporte, que é cada vez mais elevado, especialmente devido ao peso, sendo o substrato um elemento muito denso e pesado.

 

O primeiro erro frequentemente cometido é a escolha errada do substrato, talvez por razões económicas, mas a longo prazo isto revela-se errado, porque o resultado nunca pode ser bom, uma árvore precisa de um bom suporte, saudável, drenante e retendo nutrientes para o cresciemento do bonsai.

 

Os substratos japonês são especialmente concebidos para o cultivo do bonsai e no que diz respeito aos substratos de alta qualidade, podem resistir durante vários anos, normalmente 3 a 4 anos, sem sofrer de degradação profunda, o que é importante, porque um mau substrato nos trará muitos problemas, compactando, tornando impossível a passagem de água e reduzindo a circulação do ar causando a asfixia das raízes que leva à morte do bonsai.

 

Os bonsais devem ser transplantados de três em três ou de quatro em quatro anos.

Ler artigo sobre o transplante do bonsai.

 

-A rega:

A maioria dos problemas que ocorrem e que levam à morte do bonsai está relacionada com a falta ou o excesso de água. O equilíbrio certo parece ser o mais difícil de encontrar para a maioria das pessoas.

Sem água suficiente, o bonsai sentirá e começará a produzir folhas amarelas que se tornarão castanhas e secas e acabarão por cair. Se não intervirmos a tempo com uma rega copiosa, o bonsai pode morrer.

Nota: o limite é o ponto de murcha.

 

Caso contrário, o excesso de água, como por exemplo durante as férias para evitar de pedir a familiar ou amigos, muitos clientes deixam o bonsai numa bacia cheia de água e isso durante uma semana ou duas.

O problema é que as raízes permanecerão em contacto com a água durante todo este tempo, o que as fará apodrecer, o que não é imediatamente visível, mas algumas semanas depois será possível notar que as folhas começam a ficar castanhas e moles, o bonsai não tem qualquer reacção, podendo mesmo acabar por morrer.

 

Regra de ouro para a rega segura:

Regar apenas quando a superfície do torrão começar a secar, não importa quantos dias tenham passado desde a última rega, é importante compreender que a necessidade de água depende do local e das condições meteorológicas. Pode demorar um, dois, três ou quatro dias entre duas regas, dependente do ambiente em que se encontra.

 

Importante: regar sempre de manhã para dar tempo às folhas de secarem durante o dia, prevenindo assim a propagação de doenças.

Ler artigo sobre a rega do bonsai.

 

- A poda:

A poda é um dos processos que nos permite obter um bonsai de uma planta de viveiro. Existem dois tipos de poda, uma para a formação, que é a principal para dar a forma pretendida e a outra para a manutenção, que permite a manutenção da forma definida.

 

- A aramação:

A aramação, geralmente feita com arame de alumínio anodizado, é outro método para formar o bonsai. É a partir da aramação que podemos dar a forma desejada aos ramos e galhos, a fim de obter o estilo pretendido. Em qualquer caso, é sempre aconselhável observar o arame para que não fique incrustado na casca da árvore, marcas que são muito inestéticas e sobretudo pouco atraentes em termos do bonsai.

 

Outro regra de ouro: ao aplicar o arame de alumínio num ramo, devemos sempre respeitar um ângulo de 45º, puramente uma questão de lógica e de estética.

Ler artigo sobre a aramação do bonsai.

São os princípios básicos do cultivo do bonsai

- A fertilização

 

Como qualquer planta, o bonsai necessita de nutrientes para viver, por isso deve ser fertilizado, especialmente durante o período de crescimento.

Sem fertilizante, o bonsai ficará débil e sensível a pragas e doenças.

 

📆 Publicado em 16-05-2022

 

 

Termos e Condições
A iberbonsai
Dicas e Conselhos
Catálogo
Siga-nos

Todos os valores incluem IVA à taxa em vigor

Copyright © IBERBONSAI.pt 2022

Desenvolvido por Optimeios

UA-144250790-1 UA-144250790-1